Polimorfismo | Tipos e benefícios

Antes de tudo na programação orientada a objetos, o polimorfismo permite que referências de tipos de classes mais abstratas representem o comportamento das classes concretas que referenciam. Assim, é possível tratar vários tipos de maneira homogênea (através da interface do tipo mais abstrato). O termo polimorfismo é originário do grego e significa “muitas formas” (poli = muitas, morphos = formas).

Exemplo Polimorfismo
Exemplo

Também é caracterizado quando duas ou mais classes distintas têm métodos de mesmo nome, de forma que uma função possa utilizar um objeto de qualquer uma das classes polimórficas, sem necessidade de tratar de forma diferenciada conforme a classe do objeto.

Uma das formas de implementa-lo é através de uma classe abstrata, cujos métodos são declarados mas não são definidos, e através de classes que herdam os métodos desta classe abstrata.

Tipos de polimorfismo

Existem quatro tipos de polimorfismo que a linguagem pode ter (atente para o fato de que nem toda linguagem orientada a objeto tem implementado todos os tipos de polimorfismo):

  • Universal
    • Inclusão – um ponteiro para classe mãe pode apontar para uma instância de uma classe filha (exemplo em Java: List lista = new LinkedList(); (tipo de polimorfismo mais básico que existe)
    • Paramétrico – se restringe ao uso de templates (C++, por exemplo) e generics (C#/Java)
  • Ad-Hoc
    • Sobrecarga – duas funções/métodos com o mesmo nome mas assinaturas diferentes
    • Coerção – conversão implícita de tipos sobre os parâmetros de uma função

Benefícios do polimorfismo

Clareza e manutenção do código

Em linguagens de programação não-polimórficas, para implementar o método mostrarCalculo, seria necessário recorrer a uma enumeração com o tipo de operação e, dentro do método, testar o valor da enumeração, como no exemplo abaixo:

public void mostrarCalculo(String operacao, double x, double y) {
    System.out.print("O resultado é: ");

    switch (operacao) {
        case SOMA: 
            System.out.print(x + y);
            break;
        case SUBTRACAO: 
            System.out.print(x - y);
            break;

        // Outras operações...
        default:
            throw new UnsupportedOperationException();
            break;
    }
}

Além do código ser maior e mais difícil de ler, essa implementação tem outros problemas. Provavelmente esse não será o único método a utilizar operações matemáticas e, portanto, pode-se esperar não um, mas vários switchs como esse pelo código. Se uma nova operação for adicionada ao sistema, será necessário que todos os switchs sejam encontrados e substituídos, por exemplo. Com o polimorfismo, a modificação restringiria-se apenas à criação de uma nova classe.

Padrões de projeto

Boa parte dos padrões de projeto de software baseia-se no uso de polimorfismo, por exemplo: Abstract Factory, Composite, Observer, Strategy, Template Method etc;

Ele também é usado em uma série de refatorações, como substituir condicional por polimorfismo.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Polimorfismo_(inform%C3%A1tica)

Deixe uma resposta